Comunicar é proteger

O declínio de polinizadores no mundo é real. Veja no mapa as ocorrências geolocalizadas de mortes ou perdas expressivas de abelhas em apiários.

Bem vindo ao aplicativo Bee Alert, uma plataforma para que apicultores, meliponicultores e a comunidade científica registrem ocorrências de desaparecimento ou mortes de abelhas em seus apiários, contribuindo para a identificação de suas causas e a formação de um senso. Os dados são sigilosos, e serão utilizados para estudos científicos. E você pode ainda decidir se quer ou não que o local de seu apiário apareça neste mapa.
Participe! É rápido. É fácil. É seguro. É importante!

Já é Cadastrado?

Entrar
esqueceu sua senha?

Insira o email cadastrado

para podermos ajudar você a recuperar sua senha


Não tem e-mail? Não deixe de participar!

Formulário Impresso

Medalha de Prata no concurso de Inovação Apícola do XI Congresso Latinoamericano de Apicultura

Informações

Sobre

O aplicativo Bee Alert foi lançado em Agosto de 2014, e é a primeira plataforma de identificação por geolocalização das ocorrências de desaparecimento e mortes de abelhas. Os dados coletados são fornecidos por apicultores, meliponicultores e pela comunidade científica, numa atividade colaborativa ( crowdsourcing). Os dados de quem informa são mantidos em sigilo, e apenas a informação sobre a quantidade de colmeias afetadas será compartilhada, mediante autorização do informante diretamente na plataforma. Ele também pode optar se deseja, ou não, compartilhar publicamente a informação sobre o local da ocorrência.

Os dados serão validados pela equipe do CETAPIS, liderada pelo pesquisador e organizador da campanha "Sem Abelha, Sem Alimento” , Prof. Lionel Segui Gonçalves. Estas informações serão exclusivamente utilizadas para estudos e publicações científicas.

Esta iniciativa está inserida no contexto da campanha em proteção às abelhas, com o objetivo de ilustrar e tangibilizar o problema do desaparecimento e morte de abelhas. Daí a grande importância em se realizar os registros.

O aplicativo Bee Alert foi reconhecido com a medalha de prata no Concurso de Inovação Apícola do XI Congresso Ibero Latino Americano de Apicultura 2014, e sua utilização passou a ser oficialmente indicada pela FILAPI para todas as confederações dos países que a compõem. Os dados especificamente coletados pelo aplicativo nestes países serão compartilhados com as respectivas lideranças apícolas e científicas de cada país.

Em Janeiro de 2015 o aplicativo Bee Alert também recebeu o apoio do Projeto Polinizadores do Brasil, permitindo seu desenvolvimento para as plataformas Google e Android.

Caso você tenha dúvidas, dificuldades ou sugestões sobre o aplicativo Bee Alert, mande um e-mail para a equipe de organizadores, pelo endereço:

beealert@semabelhasemalimento.com.br

  • Iniciativa:

    Apoio:




Código incorporador

Você pode ajudar inserindo a aplicação no seu site ou blog, basta copiar e colar o código abaixo para disponibilizar o acesso direto do aplicativo.

  • <iframe src="http://www.semabelhasemalimento.com.br/beealert"
    width="320px" height="480px" frameborder="no"></iframe>

Suporte

A aplicação tem suporte para os seguintes navegadores e sistemas operacionais:

  • Safari iOS4+
  • Android 3.2+
  • Windows Phone 7.5+
  • Blackberry 6+
  • Chrome Desktop 18+
  • safari Desktop 5+
  • internet Explorer 9+
  • Firefox Desktop 15+

Para facilitar a usabilidade é importante o aparelho possuir GPS para habilitar a auto-localização do usuário. Caso o sistema não esteja funcionando de acordo, por favor entre em contato: suporte@semabelhasemalimento.com.br e descreva em detalhes o problema para podermos solucionar o mais breve possível. Obrigado

EM CASO DE CONTAMINAÇÃO

PROTOCOLO da CBA (Confederação Brasileira de Apicultura) PARA CASOS DE CONTAMINAÇÃO EM APIÁRIOS ou MELIPONÁRIOS

No momento em que verificar um problema de morte ou perdas expressivas de abelhas por contaminação, siga as seguintes orientações:

1) Faça um amplo registro com fotos e videos do apiário afetado: fotografe e filme as colmeias por fora e por dentro, buscando o detalhe das abelhas mortas ou agonizando, cuidando para dar a real dimensão do problema. Registre ainda as floradas visitadas, o entorno e os cultivos próximos;

2) Colha amostras de abelhas mortas e do pólen coletado dentro da colmeia. Condicione-as em um recipiente limpo (preferencialmente um frasco de vidro ou plástico). Congele-as no freezer de sua geladeira, para que possa encaminhar a um laboratório para análise.  

3) Imediatamente comunique o caso à sua Associação Apícola e também à sua Federação;

4) Faça o Registro de sua ocorrência no  aplicativo Bee Alert, criado para  documentar  mortes e perdas expressivas de abelhas nos apiarios:www.semabelhasemalimento.com.br/beealert . Os seus dados serão mantidos em sigilo, e você pode permitir o acesso ou não da informação sobre o local de seu apiário contaminado.  Os dados fornecidos serão utilizados para estudos científicos.

5) Faça um Boletim de ocorrência. Casos de contaminação podem ser considerados crimes ambientais.  Conheça algumas leis de interesse:

6) Faça também o registro desta ocorrência junto aos órgãos públicos de proteção animal/vegetal de sua cidade ou estado: Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA/MAPA); IBAMA; Polícia Ambiental, Ministério Público.

Telefones e dados úteis:

7) Comunique  imediatamente  a ocorrência aos produtores rurais de sua região;

8) Convoque os veículos de mídia de sua região (radio, jornal, TV), para cobertura do ocorrido;

9) Se julgar conveniente, busque seus direitos junto ao seu advogado;

10) Cuide em tomar medidas preventivas, para evitar novas ocorrências.

  • Quando colocar colméias fora de sua propriedade, informe aos proprietários ou responsáveis pela área sobre a localização de seu apiário; certifique-se de que é permitido e seguro colocar as abelhas neste local;
  • Mantenha atualizado os seus contatos junto aos produtores rurais próximos ao seu apiário, bem como à sua associação de apicultores; mantenha-os informado sobre a localização e mudanças de seu apiário;

Obs: A legislação obriga o produtor rural a avisar ao apicultor, num raio de 6km e com 48hs de antecedência, quando ele for fazer a aplicação aérea de agrotóxicos; ter um canal de comunicação é fundamental para minimizar riscos de contaminação.

Projeto Polinizadores do Brasil

A campanha Sem Abelha, Sem Alimento estabeleceu uma parceria com o Projeto Polinizadores do Brasil, para apoiar a difusão dos resultados dos importantes estudos sobre os benefícios e formas de manejo dos polinizadores para as culturas de algodão, caju, canola, castanha, maçã, melão e tomate, que podem ser acessados integralmente no site www.semabelhasemalimento.com.br

O PROJETO

Com o objetivo de conhecer melhor os polinizadores e a importância do processo de polinização no desenvolvimento da agricultura, o Projeto Polinizadores do Brasil realizou pesquisas e atividades de capacitação e conscientização ao longo dos últimos quatro anos. Inserido em uma iniciativa internacional da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura – FAO, financiada pelo Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF – Global Environmental Facility) e que tem o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade – Funbio como agência responsável pela execução, o projeto concentra seus esforços em sete cultivos importantes no Brasil.

PRODUÇÃO AGRÍCOLA E AS ABELHAS

A agricultura e a polinização andam juntas. Ampliar a produção e melhorar a qualidade dos frutos são benefícios direto obtidos pelo manejo da polinização. Por isto, uma agricultura sustentável deve ter um olhar atento à importância de preservar e impulsionar as atividades de polinização, entendendo esta atividade como estratégica na cadeia produtiva agrícola.

Boas práticas para impulsionar a polinização:

  1. Conservar áreas naturais.
  2. Recuperar a vegetação nativa utilizando plantas que atraem e mantêm os polinizadores.
  3. Manter a vegetação nativa próxima à área de cultivo.
  4. Manter plantas atrativas nas proximidades.
  5. Manter e manejar as abelhas próximas às áreas de cultivo.
  6. Manter a matéria orgânica no solo para a criação de ninhos.
  7. Reduzir e, quando possível, eliminar o uso de agrotóxicos.
  8. Não aplicar defensivos nos horários de visita dos polinizadores ao cultivo, geralmente pela manhã.
  9. Criar um canal direto de contato com os apicultores e meliponicultores de sua região, para, conforme a lei, informá-los sobre atividades de pulverização aérea.

PARCEIROS

Como utilizar o aplicativo

1º Passo

Selecione no calendário o dia exato da ocorrência e clique em prosseguir.

2º Passo

Pesquise o local da ocorrência.
Você pode pesquisar pelo CEP para facilitar a procura. Depois de encontrar o endereço, arraste o marcador até o local exato do apiário.

3º Passo

Coloque o total de comeias afetadas. Depois com os sliders, arraste e defina o grau de intensidade de perda de abelhas.

4º Passo

Preencha todos os campos, seja o mais específico possível, esses dados são super importantes.

5º Passo

Preencha todos os campos, seja o mais específico possível, esses dados são super importantes.

6º Passo

Envie arquivos de no máximo 10mb. Se tiver fotos ou vídeo muito grandes tente comprimir antes de enviar.

Cadastro de Usuário

Importante!
Apenas com seu cadastro de usuário você poderá registrar uma ocorrência.

Por favor, preencha corretamente todos os campos
*Campos obrigatórios





Autorizo o uso e a divulgação das ocorrências do CCD
Cadastrar USUÁRIO

Obrigado!

Cadastro efetuado com sucesso.
Obrigado!

Você já pode acessar o sistema com seu e-mail e senha cadastrados, e reportar as ocorrências

Entrar